segunda-feira, 20 de abril de 2009

Aconteceu... E hoje reflito!

Era um dia de semana comum e eu me preparava para pegar o ônibus junto com amigos, aquele dia era um dia de sorte e reflexão. Garanto que a astrologia tem uma explicação, porém eu sinceramente não sou misticista.
Eu não gosto de micrô-ônibus porém foi o que veio primeiro, o motorista tava correndo muito muito e foi assim que aconteceu, havia uma mulher no banco alto, o preferido do pessoal, e por sinal quem é alto ía acabar batendo no teto com a montanha russa que é o trajeto do businho, o banco alto não parou ao saír a mulher do ônibus, um rapaz sentou no mesmo banco, no momento que ele sentou fez um barulho, eu vi ali no chão um celular da motorola, modelo parecido com o do V3, pensei lógicamente é do cara que sentou ali o aparelho. Na boa vontade de um carioca honesto, levantei-me, peguei o celular e entreguei o aparelho ao rapaz. Ele teve pouca reação, ficou nervoso e agradeceu, só que ninguém esperava que ele fosse descer no ponto seguinte, até porque o ônibus estava andando paralelo ao metrô e faria a curva para voltar para o outro lado quando o metrô sobe, ou seja, ninguém em sã consciência iria pegar um ônibus para soltar na próxima parada, logo, o pensamento que veio a minha mente e de meus amigos é que o celular não era dele, Oooooooooou.
Bom, hoje eu pensei, imagina dizem que o crime e a desonestidade não compensa, digamos que a moça ao soltar do ônibus descobre que perdeu o celular e que ele deve ter ficado no ônibus, logo, eu acredito que ela deve ter esperado um próximo ônibus para pegar, e tentar se comunicar com o celular correto?, afinal é preciso devido a mobilidade e a ocorrência da facilidade em inutilizar um chip, dando pela troca do mesmo em um único aparelho, logo, ela deve ter ligado, e o rapaz, que possivelmente não haveria completado a viagem pretendida pelo fato de ter ficado nervoso ao segurar um presente que não era seu por direito, também deve ter pego o ônibus.
De fato, eu não sei se o que ocorreu naquele dia teve a sucessão dos fatos como datado aqui, porém fica a dica "a desonestidade não compensa", as pessoas deixam muitos rastros, elas ficam nervosas, equivocadas e inseguras, e esses sentimentos fazem mal a elas próprias.

Meus amigos ao descer do ônibus falaram para mim, po vou andar olhando pro chão, quem sabe não acho dinheiro???
E, quem vocês acham que achou???
Por incrível que apareça, isso nunca aconteceu comigo, mas naquele dia aconteceu.
Uma nota de 20 reais caída no chão perto de um carro estacionado na rua, como nunca havia acontecido isso comigo, fiquei meio bobo e não sabia como agir. Um outro colega que me encontrara já ao sair do ônibus na rua que pego para chegar em casa, me deu um conselho "esperto", "cara guarda o dinheiro, finge que nada aconteceu e não olha pra trás, se não fosse ele eu ficaria lá parado com o dinheiro na mão, aiai a gente aprende cada coisa!!!

Moral:
-Depois daquele dia passei a odiar ainda mais os micrô-ônibus.
-Hoje sei que é melhor fazer um relatório com a pessoa, fazendo perguntas simples como: "Ei, qual o seu aparelho de celular?", ao invés de entregá-lo em suas mãos.
- Preste sempre atenção no bolso, principalmente os traseiros, verifique sempre se ouvir algum barulho estranho, se não foi algo seu que caiu?
- Deixe as janelas abertas do ônibus em tamanho aceitável, não exagere, porque algo pode voar, ou você pode conhecer um assaltante que atua através das janelas.


Epílogo:
- O motorista permaneceu ausente dos acontecimentos, ele precisava cumprir horários.
- Não sei o que aconteceu com o rapaz desonesto, nem com a moça, mas acho que possivelmente alguma empresa de telefonia móvel saiu lucrando.
- Não lembro o que eu comprei com os R$20.
- Ah, sim antes que eu me esqueça, depois do celular caído no micrô-ônibus também caiu uma caneta de um senhor.



-E isso aconteceu verdadeiramente!

3 comentários:

Thiago Assis disse...

cara, se tu perguntar qual o aparelho que a pessoa tem ela vai achar q vc vai querer roubá-la Oo

o cara pode ter descido na parada seguinte pra correr atrás da mulher e devolver o celular =D


www.thiagogaru.blogspot.com

Philip Rangel disse...

Pois é concordo com o Thiago

Silas disse...

o problema é que ele nem viu a dona do celular.