sábado, 18 de julho de 2009

Do herói ao fim - Parte VIII


Os dois estavam a postos
era hora da tão esperada luta começar
naquele momento
é sempre onde as lembranças apertam
é o momento das incertezas, e importantes decisões

O herói sabia porquê lutar
lembrara de seu passado
sua mãe morreu para lhe salvar
em meio a um ataque de ladrões desordeiros
a insegurança da vida
lhe proporcionou destreza
mas, a cada momento assim
ele sente aquele momento
não pelo medo de morrer
mas pelo medo de que algum amigo morra

O rei também lembrara de alguns momentos de seu passado
tão caótico e inestimável
afinal, quem pode achar que um rei,
"o escolhido de Deus"
pode ter sofrido antes ou durante o seu trono
mas, ele sofrera com seu pai
que lhe preparara para ser rei
com obsaneidade
é inestimável a minha posição
desolar cada pretendente do cargo
lutas intensas em auto-defesa
escolhas inaceitas
até a morte
e o controle total

A luta começara
alguns dos lados pode começar perdendo pelo emocional???
Duro desafio
caberá aos dois o sustento emocional e físico
espada a espada
fio a fio
a espada do rei parece ser mais frágil que a do vassalo
que tem um aço nobre
porém a habilidade de luta do rei é mais apurada
quem desembanhará a espada para matar ?
Curandeiros nunca
a ferida é esperança de morte
bramem povo meu pela vitória de seu rei
bramem amigos pela vitória de seu herói
que sangue é mais nobre do que aquele que faz o bem?
A obstinação dos dois levavam o público a loucura
e de longe o senhor feudal acompanhara tudo
com um olhar meticuloso e condescente
afirmando tudo o que via
e de nada deixava passar
ao que parecia ser planos
mas, o que será que ele está a pensar???

Um comentário:

Philip Rangel disse...

A sim SIlas agora captei......
evo conferi cada detalhe como to fazendo...

abraçao mano